terça-feira, 23 de novembro de 2021

marés

difícil este mar enigmático
sem se revelar
esta bruma da manhã
sem levantar
que não deixa o olhar poisar.

o primeiro amor
a primeira ilha
a floresta virgem
e a frescura
num corpo desenhado
sem dor
e a memória etérea
que já foi
embarcada em mistério
por esses mares nunca
nunca alcançados.

2 comentários:

  1. Mares sempre à espera de quem tenha a ousadia e o saber de os cruzar.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. El mar siempre es fuente de inspiracion de las nostalgias, de amores y desamores, de misterios y descubrimientos, de todo aquello que nos asombra . Un bello poema !!
    Abrazo grande y feliz semana Luis!!!

    ResponderEliminar