sábado, 24 de abril de 2021

O meu 25



(dedicado 
Salgueiro Maia 
herói improvável de Abril)

Numa já distante madrugada
Lisboa foi tomada.

Salgueiro Maia
- e os seus camaradas -
abandonou a parada
derrubou a ditadura
e voltou a casa
sem querer louros de nada.

Fez-se Abril
duma primavera que tarda em surgir.

.....


25.04.1974

(dedicado a Graça Pires e à Liberdade)

eu era cego
e não sabia
era pobre
e não queria
era escravo
e padecia
era triste
e não sorria.

vivia uma prisão
que me feria
sem saber 
da liberdade
que haveria.

até um dia...

dia de liberação
onde um país
rasgou as grades
saiu às ruas
e chamou sua
toda a cidade.

fui feliz nesse dia.

domingo, 11 de abril de 2021

a arte da memória

foto do autor

o mar vem-me falar
dum tempo antigo
e tráz-me o cheiro
guardado
no museu fechado
do que sou eu.


nesses momentos
arejo o espaço
retiro o pó
abro a exposição
e começa o leilão
de pensamentos.

por fim
tudo é rematado
pelas ondas brancas
da memória.

mas meus olhos
perdem-se
no silêncio dos anos
e nas vozes extintas
deste mar
como se fossem sombras
presas
num império de luz
a cobrirem o azul dos sonhos.


domingo, 4 de abril de 2021

As palavras tardias

AQUI: a inspiração

Por aquela porta entram sonhos
palavras esquecidas
antigas
guardadas em gavetas de solidão
que foram escritas
por uma sabedora mão
e hoje aparecem
como se as árvores crescessem
ainda
em primaveras de paixão.

Por aquela porta
todas as palavras são lembradas
ditas
com o peso e o calor
dum profundo e sentido amor.