sábado, 20 de maio de 2017

o Poeta e a Escrita


Lançamento do livro "Caligrafia Íntima", de Manuel Veiga, hoje, na livraria Pó dos Livros, em Lisboa.


dizem que
o poema é como uma flor
que nasce dum chão fértil
e é da raiz que extrai amor.
toca o coração qual projéctil
a leitura numa folha de papel.

construído na paixão 
num sentimento
numa ilusão 
numa emoção
na racionalidade
na razão
ou em tudo isso
o certo é a sua polinização.

o poema nasce
na solidão
com o autor em viagem
na memória ou na observação
e faz-se ave migratória
em voos de comunhão.

foi assim 
com alegria, humor
e satisfação
que o Poeta se expôs
em íntima paixão.

e distribuiu-se... a festa.




domingo, 7 de maio de 2017

à filha e à mãe


Gustav Klimt


Hoje fazes anos, Sofia
no dia que é da Mãe
da tua mãe
e da minha, também
de milhões
geradoras da tua existência.

Mãe
da semente nasceste
e da terra fizeste leito
onde cresceste
e entregaste o teu peito.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

passar...ternura




"- abraçar as árvores é uma forma de...passar...ternura!"
frase de criança, no dia: 'abraçar a floresta'

começo a acreditar
desbravando mar
que há uma terra
de palavras amadas
como velas içadas
e ângulo de vento
a mudar quem erra.

há um mundo em mudança
nas mãos duma criança.



terça-feira, 25 de abril de 2017

43 anos



(ao 25 de abril)

houve dias que marcaram
dias que me mudaram.

hoje faz anos
que longe
a minha vida se alterou...
sem o prever
sem sequer o entender.

não sei se um outro 'eu'
em iguais circunstâncias
seria o mesmo que eu.

do mundo que guardei
de todos os momentos 
- espaços, tempos e gentes -  
sou produto do que amei.

estive sempre no lugar certo
no momento certo
com as pessoas certas.

posso considerar que tive uma incrível sorte.


domingo, 23 de abril de 2017

a tarde /ou o 21 da carris

era tarde 
esperava
por ti
ao entardecer
e cada minuto 
passava
sem ti
por compreender
e  mais triste ficava
enfim
ao anoitecer
sem estar a teu lado
os dois
cego por te ver.

e as horas passavam
lentas
no medo de te perder
e sem saber
que fazer
perdido que estava
sem te poder ver
chegaste
tarde
na tarde 
desse anoitecer
sem nada dizer.