sábado, 23 de outubro de 2021

Compaixão

Não pétala mas flor

Inteira - num todo - esplendor

Seria assim 

Esta visão quase sonho

Ou alucinação

Sem castração.


Não rio mas nascente

Corrente - em crescente fio

Seria amor

Esse sentimento adolescente

Sempre presente

Sem prisão.


Não mão mas coração

Palpitante - em peito aberto

Seria afeição

Essa carente ilusão

Ou utopia

Sem data sem oração.


Não... à sede do perdão

Mas sim à compaixão.

1 comentário:

  1. Não ave, mas voo para além de todas as penas...
    Belíssimo o teu poema.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar