sexta-feira, 13 de julho de 2018

no teu poema

[...] É nos olhos dos mendigos
que a noite se prolonga por mais tempo." 
in: "Marginalidade", Poemas Escolhidos 1990-2011, Graça Pires.

(Nota: Do Poema, acima referido, destaquei este último verso.
E só ele - quanto a mendigos -,  foi inspiração.)

No teu poema há uma dor que não se alcança
Um qualquer sinal quase de esperança
Uma mortalha que cobre sonhos de quem falha
Há um verso que aflora o sentido pela vida fora
Como se uma linha prendesse  a escassa hora
No teu poema há emoção de quem olha
A solidão posta à mesa e cama feita de chão
No teu poema existe o vazio feito de noite
Sem horas que marquem destinos
e mãos caídas de carinhos

No teu poema, amiga, há tudo o mais
que quero ver e não é demais.

lm_13.jul.2018

7 comentários:

  1. Luís,

    Muito belo e profundo o seu poema (no mergulho da
    grandiosa poética da Graça Pires) que numa ponte
    da identificação poética, ecoa a chamada:
    "[...] É nos olhos dos mendigos
    que a noite se prolonga por mais tempo." 
    E assim:
    "Há um verso que aflora o sentido pela vida fora
    Como se uma linha prendesse  a escassa hora
    No teu poema há emoção de quem olha"

    Parabéns aos dois poetas: Graça Pires e Luís Castanheira,
    com seus talentos poéticos nos oferecer esta
    preciosa leitura.

    Feliz final de semana, amigo Luís!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Profunda dor que alonga a noite e resvala em bela poesia. Gosto de encontrar "Um qualquer sinal quase de esperança"
    Tocante, queridos poetas: Graça Pires e Luís Castanheira.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Aos amigos da Leninha: quando tiverem oportunidade, por favor, façam uma visita ao seu blog (helena.blogs.sapo.pt), pois lá deixei uma postagem que diz respeito a todos os seus amigos blogueiros.
    Atenciosamente,
    Vera Lúcia

    ResponderEliminar
  4. De repente, Luís, tocaste em tantos pontos que esse verso que escolheste (e agradeço) podem abarcar, que fiquei confusa comigo mesma… e contigo…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Amigo, Luís; que belíssimo "desenrolar" a meada das palavras de uma grande poetisa!
    "No teu poema há uma dor que não se alcança", mas alcançamos a plenitude do sentir que, pelas vossas mãos, nos são mostrados.
    Parabéns a ambos, a poesia tem esta beleza, deixar-nos mergulhar no mundo do outro e recolher as pérolas que lá se encontram, e que, não sendo nossas, podemos tocar e apreciar.

    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  6. uma hora mágica de inspiração em Graça Pires, fez com que este poema transbordasse e digo que gostei tanto que a emoção tomou conta de mim.
    parabéns
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar