terça-feira, 3 de abril de 2018

evasões

(para ti, meu amor:)
foto: dn

inventámos uma ilha
quase deserta
quase perdida
onde só os pássaros
renovam esperanças
neste mar que nos rodeia.
vivemos uma vida
para nós pequena epopeia
quase fuga
quase isolada das demais
ilhas
nas emoções contidas.
imaginamos um barco ancorado
à espera da brisa
que da vontade faça voo
e nosso suspiro seja alento
doutros mundos retidos
no pensamento.
esmorece o dia
e a noite cala o sorriso
desta evasão.
amanhã acordaremos
lá longe
desta ilha que em nós habita
com a liberdade no peito
e horizontes no olhar
na (re)escolha de aqui ficar.
LM_03.abr.2018


4 comentários:

  1. Vagueando através da magia e do sonho, até chegar a uma ilha onde só as aves conseguem viver. Poema muito bonito.
    .
    * Promessas de Amor em Versos Poéticos *
    .
    Deixando Saudações Amigas.

    ResponderEliminar
  2. Ilhas onde o amor habita, são das mais belas, das mais genuínas e das mais puras que podemos preservar na vida. Magnifico poema, amigo Luís. Um hino suave ao amor de uma vida.
    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  3. As mais belas ilhas são as inventadas

    ResponderEliminar
  4. Todos temos uma ilha adiada dentro do peito, Luís. Gostei muito do teu poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar