quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

curta fábula de natal (para os mais pequenos)


queria o poeta saber, o que diria o mar,
dum poema, na areia escrito,
ao luar.

e o mar, no seu leve murmurar,
perguntou ao vento, o que achar,
deste insólito pedido.

este, perguntou às ribas da terra,
o que deveria julgar, 
e a terra disse, que entre ela e o mar,
nada poderia habitar.

e o vento disse ao mar, que na dúvida, o iria apagar.

então, o mar perguntou ao sol,
o que deveria responder,

e este disse:

- por ninguém saber ler nem escrever,
e só de ouvido, gostarem de cantar,
deixá-lo estar...
não vá a lua deixar, o poeta de se inspirar!

e o poema foi inscrito...
...na figura dum coração.




LuísM_13.12.2017

2 comentários:

  1. Uma fábula não de Natal, apenas, mas de vida, de amor, de esperança. Na forma de um coração.... E, ao fim ao cabo, o que é o Natal senão AMOR?

    Belo poema/fábula, amigo Luís.

    Beijo de luar

    ResponderEliminar