quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Equador

desenho de LuísM


Um chão de Mar
Estendido ao olhar
Ao meio do dia
A travessia.

Linha do Equador
Um barco quase a vapor
O 'Quanza' a lamentar
O seu vagar.

E nos olhos da criança
A esperança
Debruçada 
Na âncora pendurada.

E na água prateada
Deste Mar
O menino espreitava
Os golfinhos junto à quilha
Num suave navegar.

(reeditado)


6 comentários:

  1. Na linha do Equador, nem ao Norte nem ao Sul - apenas no meio onde o equilíbrio desafia as leias humanas. No Equador, onde os meninos têm sonhos de golfinhos e os golfinhos sonham com outros mares, num suave navegar.

    Uma bela reedição, Luís. Se me é permitido, sinto a falta dos seus comentários no meu "cantinho".
    Bom fim de semana.

    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Luís. Fiquei muito feliz por ler de novo o meu amigo no "lágrimas"! Que bom, boas notícias. espero que continue a conseguir comentar sem muitos problemas... mais uma vez obrigada e ... Sinta-se bem vindo sempre.

    Excelente fim-de-semana

    ResponderEliminar
  3. Luís, volto para dizer que a "escada sem corrimão" é de facto um poema lindíssimo. Que conhecia, mas que fui reouvir, porque poema e voz são uma combinação perfeita. Obrigada pela nota.
    Sim, é mesmo Paula, pode usar à vontade.

    Um beijo, amigo, e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  4. É bom voltar a ser "O menino espreitava os golfinhos junto à quilha num suave navegar".
    Muito belo!.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Um poema belíssimo que remete a um outro tempo
    o menino
    a espreitar os golfinhos
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  6. Em Tempo!
    Esqueci, de mencionar que gostei muito da imagem, e fiquei na dúvida se será de sua autoria.
    beijinhos
    )

    ResponderEliminar