segunda-feira, 21 de agosto de 2017

contra-luz



tinhas o sorriso preso ao olhar
e nesses olhos um pôr-do-sol
a bailar.
junto à falésia e ao fundo o mar
cruzaste o horizonte sentada
entre plantas verdejantes e raios de contra-luz.
não sei o que pensei ou sequer se o mundo era habitável em mim.
tudo ficou suspenso no tempo.
esse tempo dum só momento
dum só desejo.
dum juramento.
só me lembro que se houvesse um paraíso
ele seria aqui.
e nele poderia viver eternamente...


2 comentários:

  1. "só me lembro que se houvesse um paraíso
    ele seria aqui.
    e nele poderia viver eternamente..."
    O que pode fazer um sorriso preso no olhar...
    Muito belo!
    Um beijo, meu Amigo.

    ResponderEliminar
  2. E o paraíso existe aqui! E nele faz-se morada eterna; um paraíso não se abandona, amigo - jamais -, porque podemos perder-lhe o rasto e vaguear na escuridão de dias sem alma.
    Possam todos os olhares ficar presos a um por-do-sol intenso e belo - intemporal.

    Beijo de luar

    ResponderEliminar