sábado, 4 de março de 2017

O soldadinho





Olá pai, olá mãe
Adeus...
Eu fico bem!
Adeus 
Até ao meu regresso.

E em chumbo o soldadinho 
Feito espólio num impresso
Com a Alma que Deus tem
Chegou aos braços de sua Mãe.

6 comentários:

  1. A tristeza de quem vê partir um ente querido para uma guerra e acalenta a esperança de um dia vê-lo voltar...
    E quando voltam, parecem trazer a guerra dentro da alma.
    E se não voltam... Se perpetua uma grande tristeza no olhar de quem ficou.
    Versos tristes, música que dói na alma da gente.
    Uma realidade, amigo, difícil de aceitar.
    Estrelas na tua semana, sorrisos na tua alma.
    Helena

    ResponderEliminar
  2. mas chegou inteiro
    e com o dever c(o)mprido ...

    abraço, Poeta

    ResponderEliminar
  3. Este soldadinho, que não era de chumbo, mas de carne e osso, e sangue e esperanças, deu a alma e corpo por uma pátria, por um ideal, por... sabe-se lá o quê. Mas foi, mas marchou, mas empunhou armas, mas sofreu (fez sofrer), e... foi feito espólio num impresso - triste forma de regressar aos braços da sua mãe. Mas a Sua Mãe recebeu-o como um filho herói, tombado por um dever (dito) maior.
    Querido Amigo Luís, que poema singelo e lindíssimo a quem, na guerra (em todas as guerras) deu a vida - muitas vezes sem saber porquê.

    Boa semana,meu amigo, este poema tocou; Mesmo.
    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  4. Aliado à música do Zeca vem o teu poema, perturbante e triste. "De chumbo não era, de que era o soldadinho?"...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Passo, deixando o raio de sol (que brincava numa flor no meu jardim), para iluminar o teu dia...

    ResponderEliminar
  6. um tempo
    uma guerra
    dores que ficaram

    uma época triste

    beijo

    :(

    ResponderEliminar