quinta-feira, 16 de março de 2017

o nome

An He


os nomes que eu te dei
são nomes que já não sei
nomes por quem chamei
ou nomes por quem amei.

só um nome eu não esqueci
entre todos os que perdi
o nome guardado no peito
nome conhecido no leito
quando nascido o senti
e se colou sempre em mim:
esse, o nome de minha mãe.




7 comentários:

  1. o nome mais belo - o doce nome de Mãe

    abraço, caro Luis

    ResponderEliminar
  2. Não apenas um nome... O nome!
    De tanta importância que faz o poeta trazê-lo "guardado no peito" como o tesouro maior da sua Poesia!
    Tens razão, meu amigo, o nome pelo qual é chamada a nossa mãe, se torna o nome mais bonito dentro do nosso coração. Pode ser um nome bonito, ou feio (na concepção de outros), um nome suave ou mais forte, um nome simples ou composto, qualquer que seja esse nome, ele será sempre aquele que nos adoçará a alma, será sempre aquele que ao ouvirmos, será como música a nos envolver num doce canto... E esse nome, aconchegado no lugarzinho mais bonito do nosso coração, fica fica sempre a entoar uma doce cantiga de ninar, quando aqui de fora pronunciamos a doce palavra MÃE!
    Amei esta postagem, meu querido!
    Grata pela presença lá no meu cantinho, sempre com palavras afetuosas.
    Aceite um ramalhete de sorrisos, enfeitado de estrelas, acompanhando um beijo no teu coração,
    Helena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Amiga Helena:
      Sei o quanto tem sido difícil a sua vida, ultimamente.
      Tenho seguido atento os problemas de saúde da sua família.
      Também sei que tudo tem corrido pelo melhor, na questão de saúde.
      Ainda bem. É isso o que mais lhes desejo.
      Menina Forte,que você é!
      Aceito, sim, esse 'ramalhete' de sorrisos (que nunca murcham), sempre bem-vindos,vindo de quem vem e retribui com um forte abraço e um beijo carinhoso ao coração grande como o de um leão.

      Eliminar
  3. Sim, Luís, o nome da mãe é imenso.
    Não há esquecimento que o apague.
    Uma ternura de poema.
    Gostei tanto.
    Deixo um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Um nome que guardamos no coração.
    Encontrei hoje o seu blogue e adorei a sua poesia, irei começar a divagar por aqui.
    Bom domingo
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar
  5. Sensibilizou-me o poema. A mãe: o colo côncavo de afectos a guardar em seu olhar os nossos sonhos. A mãe nunca morre porque é no seu ventre que começa a eternidade...
    Uma boa semana, meu Amigo.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Mãe que não rima com nada
    Era de rimar com tudo
    E até na boca do mudo
    Ouço-a pronunciada.

    Palavrinha idolatrada
    Pequena, enorme contudo
    Mais forte que um escudo
    Mais fraca que água parada.

    Mãe, mamãe ou então mãezinha
    O nome é uma ladainha
    Repetida ao mundo inteiro.

    Eu, como perdi a minha
    Toda a lembrança que a tinha
    A encontro no travesseiro.

    Grande abraço. Maravilha de escolha, o seu poema. Parabéns! Laerte.

    ResponderEliminar