quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

{...}

{.....}

disse-lhe:
- tens um mundo à tua frente!
ela olho-me e num sorriso matreiro
com a ironia da juventude, perguntou:
- para que quero eu seguir o mundo, se o mundo sou eu...?

(mal sabia eu que todos os mundos são perigosos... )

4 comentários:

  1. ... e por tão sábia resposta merece o centro do Mundo.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Nem todos os mundos são perigosos; Apenas aqueles em que nos permitimos perder... Ou encontrar - quem sabe. Até porque - temos um mundo à nossa frente - basta abrir-lhe as portas e seguir o caminho.

    Um Natal de Paz e Harmonia, de Amor e Serenidade.
    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  3. Sensibilizado, Luís pelo teu belíssimo comentário, que por si vale um poema
    e revela a excelência e sensibilidade de teu carácter.

    caloroso abraço

    ResponderEliminar
  4. Realmente todos os mundos são perigosos ao exterior de nós,
    mas saber percorrer o mundo interior é a chave para
    viver a vida como ela é e ao mesmo tempo nos preservar
    na nossa capacidade de sonhar!...
    Sempre bela e sábia a tua poética, meu Amigo!!
    Um beijo.

    ResponderEliminar