segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

1_4

....1
nem a chuva intermitente
nem o nevoeiro somente
ocultam do chão 
a flor  
repartida por cada olhar
por cada mão.
.....2
e no olímpico monte
há um palácio de memórias 
com deuses de cristais
fingindo céus.
.....3
toda a poesia é sonho 
e utopia
aquela que habita
por séculos ou raro dia
na ventura ou desdita
no (ir)real do corpo e da mente
que chega a ser
sendo porque se sente.
.....4
...e as verdades absolutas 
são o que são.





3 comentários:

  1. "e as verdades absolutas
    são o que são"
    (ou o que não...)

    Grata pela visita. Gostei muito de entrar aqui.

    ResponderEliminar
  2. De 1 a 4... Tanta poesia, tanta verdade!

    ResponderEliminar
  3. de 1 a 4 o Poeta leva-nos a um jogo interessante em aliar as palavras aos sentires.
    belíssimo trabalho
    saudações poéticas
    :)

    ResponderEliminar