sexta-feira, 25 de novembro de 2016

pássaro ferido

ByThau Blog


(25. nov. _a vítima mulher)

este é o tempo
este o lamento
solto e escorrido
no pensamento
pássaro ferido
no chão caído.

entre paredes
mesmo na rua
há uma vida
em perigo 
ou insegura.

"trezentas e 
oitenta
mulheres
morreram
em dez anos 
vítimas 
de violência 
doméstica.
(e têm nome)"

e cada vida
e todas elas
já são demais.
(e tinham vida)

não serão mães
filhas, irmãs
não mais...
deixaram filhos
deixaram pais.

dizem que o ciúme
é causa primeira
para tamanho crime
como se alguém
fosse de alguém.

um só gemido
fraco que seja
deixa o mundo
algo perdido.

(todos temos direito à vida,
com ou sem amor)



1 comentário:

  1. Meu querido amigo Luís,

    Excelente este poema denúncia, muito apropriado o título, cada mulher
    violentada e até morta por esta violência, é um pássaro ferido e
    algumas mulheres-pássaros são feridas definitivamente para os seus
    voos de sonhos, provocados por homens brutos e covardes que se acham
    donos perversos do seu corpo e da sua alma...
    Maravilhoso é este seu gesto de sensibilidade neste grito contra
    a violência sofrida pelas mulheres.
    Grata pela partilha de consciência nesta igualdade de direitos
    à vida...
    Abraço de admiração.

    ResponderEliminar