sexta-feira, 25 de novembro de 2016

o abismo



foto LuísM

andam gaivotas no meu voar
brancas plumas, junto às dunas
e o mar cansado, espuma de raiva
contra os rochedos, a causar medos.

olho o abismo, de tão perto estar
sinto o tormento, d'ele me olhar.




4 comentários:

  1. Belas as gaivotas que voam sem medo dos abismos, sem medo da fúria do mar.
    Belos os olhos que, por elas, se deixam encantar.
    Que tormentos guarda um abismo? E que mistérios pode ele revelar?
    Atrevo-me a dizer para afastar o tormento dele o olhar...

    Bonitas imagens: o eterno mar - uma paixão sem fim.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. O mar nunca se cansa de ser olhado

    ResponderEliminar
  3. Belíssimo!!

    Que inspiração encantadora, "o olhar do abismo", o enigmático
    do vazio e o todo que o abismo imprime no seu mistério!...
    Parabéns pelo excelente e inspirado poema, acompanhado
    da foto-arte, meu amigo.

    Um final de semana feliz, caro Poeta.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  4. o mar é a inspiração do Poeta ...
    bom domingo
    :)

    ResponderEliminar