segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

a espera

foto luís castanheira
À beira do Tejo
um café e um desejo:
não demores!
Límpida suavidade
É a espera de verdade.

(por ti, Sofia)

1 comentário:

  1. Somos sobreviventes do cansaço ritmado dos horários... E esperamos, inquietos, se há qualquer demora...
    Excelente fotografia e poema.
    Beijo.

    ResponderEliminar