terça-feira, 9 de setembro de 2014

promessas...

se tivesse muito dinheiro
falava contigo primeiro
comprava-te a felicidade
toda junta, por atacado
dava-te um novo fado
datado mas sem idade.

construía uma nova ilha
onde a memória fosse filha
dum passado arredondado
de caminhos sem esquinas
as palavras fossem finas
num presente torneado.

ai, se tivesse muito dinheiro...
comprava-te o mundo inteiro
nem as pedras da calçada
nem a relva do jardim
teriam queixas de mim
ao pisá-las em danças da alvorada.

ai, se tivesse muito dinheiro...
transpunha o rio num cacilheiro
ao encontro doutra margem
e de braços bem abertos
eu enchia-te de afectos
até o coração ter paragem.

ai, se tivesse muito dinheiro..
descobria-te pelo cheiro
que largasses ao redor
não precisava de pensar
que o sonho é criar
e não em ganhar bolor.

- ai, se tivesse muito dinheiro...
esquecia o amor primeiro
perdia-me só com o cheiro!

9.set.2014




Sem comentários:

Enviar um comentário