quinta-feira, 25 de setembro de 2014

na minha aldeia

a minha aldeia é uma teia
de gente linda e gente feia
há uma rua, única rua 
a dividir toda a ternura

e essa rua  é quase crua
deixa nos lábios a amargura
desses teus beijos
soltos,... e em desejos
mas separados da minha boca
longe da tua, .....seca e oca

há uma rua 
que não é minha
e nem é tua
e nos desalinha
qualquer olhar
mesmo a passar

há gente linda e gente feia
e nessa teia, há muitas línguas
pois nessa rua há quem semeia
mesmo às minguas
a maledicência
como referência

a minha aldeia é triste e feia
mas cá,... onde tu moras
torna-la linda, bela e cheia
como a colmeia, ...como as amoras.






2 comentários:

  1. A nossa aldeia é o mundo...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Pode pedir o livro directamente à editora através do meu "Ortografia do olhar" Se clicar na fotografia do livro vai ter à loja da Poética Edições. Obrigada pelas carinhosas palavras.
    Beijo

    ResponderEliminar