terça-feira, 2 de setembro de 2014

fora de tempo

não sei 
o sentido que hei-de tomar...
se hei-de partir ou ficar.

a dúvida é escolher

onde gostaria de estar
e não perder
nada do que me fez amar.

mas sei

para onde irei
se este lugar morrer em mim
vestido com a dor desse fim.

(hoje,  uma  amiga  disse-me

 que tinha cancro desde Outubro
e estava enfrentá-lo com alegria)

porque será que a poesia não surge em dias de alegria?


lm.-02.set.2014

1 comentário:

  1. O seu poema, muito belo, termina com "um murro no estômago". O melhor é ir ou ficar onde lhe apetecer ser feliz...
    Um beijo.

    ResponderEliminar