sexta-feira, 30 de maio de 2014

ruído

foto NASA

À minha volta tanto ruído
vozes de conversas fúteis
vagas de sentido
sem objectivo
dispersas num oceano perdido
tantas as vozes
e tão poucas ideias úteis
guerras e desgraças
vigarices e trapaças
em notícias dos ‘media’
moem-me o juízo
em pequenas praças
centros de consumo
abertos ao mundo
onde o silêncio tarda
na noite que cai
de negro fumo
em qualquer vila perdida.
Eu estou aqui
presente
com pena de não estar ausente
sem o querer sentir
estar longe no meio do nada
como um monge
na solidão da alvorada
duma qualquer estrela parada.
Estou cansado
perdida tanta energia
onde os telemóveis tocam a cada momento
conversas que me focam sem as querer ouvir
a privacidade dos outros dada sem a pedir
um tormento…
Quero concentrar-me
- nem que seja um breve instante, neste dia –
sentar-me à beira da cama
e como um bêbado
suavemente deitar-me de lado
e procurar o sono
afastar este sofrimento
de estar sozinho
inundado pelo firmamento
e um mundo criado por dentro.


LM_14.ago.2013



Sem comentários:

Enviar um comentário