sexta-feira, 30 de maio de 2014

rio


Rio da minha saudade
Águas da minha infância
Nas margens da minha idade
Vejo a minha mocidade
Povoada de fragrâncias.

O teu percurso é o meu
A tua essência sou eu
Dum destino não só teu
E que nunca se perdeu.

Havemos de nos encontrar
No percurso ainda em falta
Mesmo que a maré seja alta
Abraçar-te no meio do mar

E aí chagados, espero
Recusar o que não quero.


LM_Domino, manhã, 6/out/2013


Sem comentários:

Enviar um comentário