sexta-feira, 30 de maio de 2014

O poeta e as palavras


Branca espuma deste mar
No teu nome e no olhar
Raia a pureza da Aurora.
Entre o silêncio e a noite
Fustiga o frio em açoite
Dor que não vai embora.

O inverno é teu inferno
Vai-se a luz e o amor terno
É a escuridão que te invade
O sonho que já se perde
A esperança que agora cede
À lembrança e à saudade.


LM_31.jan.2014




Sem comentários:

Enviar um comentário